Pilates e pilates…

O Pilates ganhou grande reconhecimento  e de certa forma virou “moda”. Nos últimos anos o mercado reconheceu essa oportunidade e muitos studios foram abertos.

Entretanto esta não é uma técnica simples.

Existem Pilates e Pilates, cuidado com seu corpo.
Não confunda Pilates de ACADEMIA com de STUDIO. O diferencial não está somente na presença de equipamentos, mas principalmente na quantidade de alunos por sala (no máximo 3), e na QUALIFICAÇÃO do Instrutor. Será muito difícil, praticamento impossível, corrigir a postura e o movimento de 10 alunos em uma aula; muito menos então realizar um trabalho individualizado. Na mesma turma um aluno pode ter dor lombar por hérnia de disco e certos exercícios seriam contra-indicados. Outro ponto é que os princípios, como respiração, alongamento axial, coluna neutra, necessários para um exercício eficaz e seguro, não são passados.

Ninguém sai da faculdade sabendo Pilates, muito menos em cursos de 2 finais de semana. É preciso no mínino 1 ano de formação; isso requer um investimento alto, tanto em termos financeiros quanto de tempo e estudo. É preciso também o instrutor sentir o movimento no próprio corpo, as progressões, regressões e adaptações de cada exercício, para assim conseguir ensinar, reeducar funcionalmente o aluno com eficácia.

Sua coluna deve ser estável, mas também móvel para exercer as funções do dia-dia sem sofrer sobrecargas ou lesões, levando a dores. Em uma aula, trabalhamos esses dois elementos. A mobilidade da coluna deve ser realizada com os princípios da técnica (contração profunda de abdomem, crescimento axial, etc.), com a orientação e correção correta; caso contrário, ao invés de tratar e reabilitar dores, podem ocorrer losões, piora de dores já existentes.

 Pilates é coisa séria.


CORRIDA – NÃO SAIA APENAS CORRENDO

 

Decidir começar a praticar um esporte é mais sério do que você imagina.

Como correr praticamente não tem custo, é comum a prática sem nenhum acompanhamento físico ou médico, o que pode transformar uma ótima atividade física em dor de cabeça mais tarde.

Além da avaliação física, muitos praticantes têm procurado profissionais que os orientem sobre o tipo de pisada que possuem, com o objetivo de escolher o melhor calçado para a atividade; diferentes tipos de pisada podem gerar diferentes problemas.

Existem basicamente três tipos de pisada:

Pisada normal: onde se inicia o contato com o solo do lado externo do calcanhar e então ocorre uma rotação moderada para dentro, terminando a passada no centro da planta do pé.

Pronação: onde a pisada também se inicia do lado externo do calcanhar, ou algumas vezes um pouco mais para a parte interna, para então ocorrer uma rotação acentuada do pé para dentro, terminando a passada perto do dedão.

Supinação: onde a pisada inicia no calcanhar do lado externo e se mantém o contato do pé com o solo do lado externo, terminando a pisada na base do dedinho.

 

Estima-se que em 50% das pessoas apresentam pronação, 45% apresentam pisada neutral e 5% apresentam supinação.

Outro aspecto a ser considerado é o fortalecimento muscular.

 É importante que a musculatura, principalmente das pernas e do tronco estejam fortes a fim de estabilizar as articulações do tornozelo, joelho, e coluna. Caso contrário podem ocorrer lesões, tais como: entorse de tornozelo, tendinopatias, lombalgias, entre outras.