Respire!

Não importa qual atividade física você pratique; sempre respire durante os exercícios, nunca prenda a respiração! Procure encolher a barriga também. A respiração associada com a contração do abdomem estabiliza a coluna prevenindo lesões


Matéria Revista Cláudia set/11

 

Veja a matéria da revista Cláudia deste mês que a Clínica Vênere auxiliou:

 


Lombalgia x Pilates

 Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), ao menos uma vez na vida todas as pessoas terão dores nas costas, seja por desequilíbrios musculares, má posturas, movimentos repetitivos, idade, tabagismo, fatores genéticis, entre outros.

A região da coluna vertebral mais acometida é a lombar, por ser uma área de grande movimentação e que suporta maior carga. A patologia mais comum é a Hérnia de Disco, sendo seus sintomas lombalgia e dores irradiada para as pernas (lombociatalgia).

Isso ocorre pela disfunção dos músculos multífidos e transverso do abdome, responsáveis pela estabilização da coluna. Essa disfuncionalidade pode ser minimizada com a prática do Pilates, através de exercícios de fortalecimento e alongamento de todo o corpo, principalmente dos abdominais e mutífidos.

Sendo assim, o método Pilates é extremamente indicado no caso de lombalgia, desde que ocorram adaptações e modificações de alguns exercícios, respeitando a individualidade de cada um.

Cláudia de Pretto

 

 


Importância do Períneo

Durante uma aula de pilates, o instrutor sempre pede para contrair o períneo, ou assoalho pélvico, enquanto expira, solicitando uma força de “segurar a urina”, ou de “imaginar entrar numa piscina bem gelada” .

Mas  anatomicamente, aonde está o períneo?  Ele localiza-se inferiormente na pelve,  sendo importante para a contenção do conteúdo abdominal, , para gestantes durante e após o parto, assim  como para o controle urinário e fecal.

Essa ativação muscular otimiza a contração de outros músculos abdominais, mais profundos, como o mm tranverso do abdomen e mm multífidos. Estes últimos são essenciais na reabilitação de dores lombares. A contração, associado à respiração, aumenta a pressão intraabdominal, favorecendo uma maior estabilidade para a coluna.

Tão importante quanto saber contrair o assoalho pélvico é saber relaxar esta musculatura. O instrutor pede durante uma aula para “relaxar” o períneo enquanto inspira, enquanto deixa o ar entrar. Temos como objetivo assim o controle dessa musculatura. Como benefícios podemos citar o tratamento de incontinência urinária, e a melhora do desempenho sexual.


Envelhecimento x Atividade Física x Pilates

O  número de idosos vêm crescendo no mundo e no Brasil.  Segundo dados do IBGE, no ano de 2030 o Brasil terá a sexta população mundial em número absoluto de idosos. Entretanto, isto não significa um aumento proporcional do índice de qualidade de vida nesses sujeitos. Estima-se que em 2020 ocorrerá um aumento de 84 a 167% no número de idosos com moderada ou grave incapacipade. A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia afirma que a atividade física regular melhora a qualidade e expectativa de vida do idoso.

Com o envelhecimento há diminuição da acuidade visual,  perda de massa muscular e óssea, o que aumenta o risco de queda e suas complicações, como fraturas e dores.  A prevalência de queixas de equilíbrio em uma população acima de 65 anos é de 85%.  Um levantamento de 2000 à 2008 da Secretaria de Saúde constatou um número 5 vezes maior de morte por quedas em idosos no estado de São Paulo.

Como o Pilates pode melhorar a qualidade de vida do idoso?

No pilates são exercitados músculos profundos, estabilizadores articulares, que promovem um aumento do controle motor e estabilidade postural. Aumenta-se a força muscular geral assim como a mobilidade das articulações. A melhora do fortalecimento e da mobilidade em extensão da coluna favorecem uma maior produção óssea, prevenindo  a osteopenia/ osteoporose. São simulados no studio exercícios funcionais, que permitem uma maior autonomia nas atividades de vida diária. Realizado por fisioterapeutas, o pilates é capaz de amenizar e tratar muitas dores, principalmente na coluna.

O envelhecimento encontra-se associado à alterações no sistema cardiorespiratório.  Ocorre aumento da massa cardíaca, as artérias sofrem alterações de elasticidade, distensibilidade e dilatação e há um aumento da pressão arterial média e redução no consumo máximo de oxigênio (VO2). Sendo assim, a Sociedade Brasileira de Gerontologia e Geriatria também indica um programa de exercícios com atividade aeróbica, como caminhar, pedalar. Pensando nisso a Clínica Vênere montou uma sala de condicionamento aeróbico, para complementar a atividade do pilates.